11 de jun de 2012

"um para mostrar, outro para esconder"

só lendo mesmo... mas este quadro era para "consumo interno" (de maneira nenhuma ele poderia mostrar a theo): depois da crise mais prolongada que teve até então - estamos no verão de 1889, os ataques foram ininterruptos entre julho e final de agosto -, van gogh pinta um autorretrato: faces encovadas, olhar meio alucinado, com sombras de um verde lívido no rosto e, sobretudo, volta o "rayon noir" no fundo carregado, roxo bem escuro.


para theo, na mesma época, manda um autorretrato catita, de terno novo, bem penteadinho, parecendo "um bibelô", dizem os biógrafos - todo azul leve, feito "exprès" para deixá-lo tranquilo. considerava agora seu principal dever não incomodar nem preocupar o irmão.